logo-metodos-contraceptivos.gif









Contraceptivos Hormonais
Anticoncepcional combinado oral.
Anticoncepcional Combinado Oral (ACO)

Também conhecido como pílula, esse método consiste na utilização de estrogênio e progesterona para impedir e inibir a ovulação, pois eles bloqueiam a liberação de gonadotrofinas pela hipófise. É o método mais comum mundialmente e interferem no transporte ovular e tornam o muco cervical para que ele se torne hostil ao espermatozoide.

Os anticoncepcionais possuem vantagens como: regular o ciclo menstrual, redução na incidência de TPM, redução na incidência do câncer de ovário e endométrio, redução do ciclo menstrual e diminuição de cistos de ovário. Possuem um índice de falha de apenas 0,1%. Entretanto, há estudos que relacionam o consumo de anticoncepcionais com problemas de arteriosclerose, ataques cardíacos e coagulação do sangue. É importante que a mulher acompanhe o uso das pílulas com seu médico, porque ela está ingerindo hormônios. Além disso, elas não protegem contra as doenças sexualmente transmissíveis.

Tipos de pílulas anticoncepcionais

Pílulas monofásicas: São pílulas tomadas uma pordia e cada uma delas possui a mesma quantidade de hormônios. São ingeridas no 5° dia de menstruação até o remédio acabar. Depois, passam-se alguns dias de intervalo, que correspondem ao período da menstruação.

Pílulas multifásicas:
as pílulas têm a dosagem de hormônios alterada dependendo da fase de seu ciclo e são tomadas uma ao dia. Podem ter menos efeitos colaterais, por possuírem uma dosagem menor. Não podem ser tomadas fora da ordem.

Pílulas de baixa dosagem ou minipílulas: Contém apenas um tipo de hormônio que preferencialmente é a progesterona. Têm uma menor dosagem hormonal ,causando menos efeitos. Por isso, são indicadas para as mulheres em fase de amamentação.

Mitos e verdades.Mitos e Verdades dos Métodos Contraceptivos
 
 
Interromper o uso da pílula causa acne?
 
VERDADE – Os anticoncepcionais orais reduzem os níveis de androgênios (possíveis causadores de acne) no sangue e assim diminuem a gravidade da acne. Ainda não há estudos que evidenciem isso; porém, há mulheres que passam a ter a doença com o uso das pílulas.

Determinados remédios interferem no efeito da pílula?

VERDADE – Alguns antibióticos e anticonvulsivantes diminuem o poder dos anticoncepcionais orais. É importante que a mulher verifique mais informações com seu médico.

As pílulas geram a
queda de cabelo?

MITO – Não há estudos que comprovem esse efeito do anticoncepcional.

Podem ser utilizados para o tratamento de endometriose?

VERDADE – São utilizadas como método não cirúrgico para essa doença.

Os anticoncepcionais diminuem as cólicas menstruais?

VERDADE – A menstruação que causa muita dor é denominada dismenorreia e ocorre principalmente em mulheres que não ovulam. Devido a isso, esses anticoncepcionais diminuem a incidência de dismenorreia. Quando ocorre a suspensão do método, algumas mulheres costumam voltar a sentir cólicas menstruais.

A pílula piora os sintomas de doenças respiratórias como a asma?

MITO – Os níveis de hormônio parecem influenciar no agravo da asma, e os anticoncepcionais nivelam os hormônios.

Mulheres que tomam pílula, demoram mais a engravidar quando param de tomá-lo?

VERDADE
– Não há um grande prejuízo à fertilidade; porém, o retorno demora, se for comparado à interrupção de outros métodos.

Pílula do dia seguinte


É um anticoncepcional usado em emergências quando o casal não conseguiu utilizar nenhum outro método contraceptivo. São dois comprimidos: o primeiro é tomado em até 72 horas depois da relação sexual e, depois, se toma o segundo comprimido, 12 horas após o primeiro. Ele pode causar efeitos colaterais fortes como: tontura, problemas no ciclo menstrual, dor de cabeça, fadiga, entre outros. É recomendável que não se faça uso desse medicamento de forma contínua, somente em casos de urgência.
 
Eficácia da pílula do dia seguinte:

-até 24 horas depois da relação, é de 95%;

-entre 25 e 48 horas depois da relação sexual, é de 85%;

-entre 49 a 72 horas, sua eficácia fica abaixo de 50%.

Métodos Contraceptivos Injetáveis


Os métodos injetáveis possuem em sua composição o hormônio progesterona ou uma determinada associação de estrogênios que são introduzidos na paciente. São doses que duram por um longo período, que varia de 1 a 3 meses. Quando é utilizada a progesterona, sua eficiência dura 3 meses e dura por um mês quando é utilizado o estrogênio. A probabilidade desse método falhar é de 0,1% a 0,6%, com referência a mil mulheres. O uso dos anticoncepcionais injetáveis pode causar mudanças no ciclo menstrual, dores de cabeça, vertigem e aumento de peso.

Métodos Contraceptivos Definitivos

Laqueadura Tubária

Esse é um método cirúrgico que impede que o óvulo seja fecundado pelo espermatozoide. Em alguns casos, as trompas são cortadas ou é colocado um anel que impede a passagem. É um processo irreversível que não protege contra as DSTs. As mulheres submetidas a esse tratamento não param de menstruar. Tem um índice de falha de aproximadamente 0,4%.

Vasectomia

A vasectomia é um método contraceptivo feito por meio de uma cirurgia de interrupção no canal onde passam os espermatozoides. A ejaculação ainda irá ocorrer, sendo necessário que o homem assim o faça por até 20 vezes, após o procedimento cirúrgico, até que não exista mais espermatozoides no esperma. Não compromete a relação sexual e tem um índice de falha de aproximadamente 0,15%.
 
 
Contraceptivos de Barreira   <<--  Contraceptivos Hormonais  -->>  Camisinha